Rock Anos 90 e 2000 no Brasil

Anos 90

A década começou com apenas uma novidade: a MTV Brasil, em 1990. E o primeiro “grande grupo” da década foram os mineiros Skank, que misturavam rock e reggae. Ao longo da década, outros grupos mineiros surgiriam, como Pato Fu, Jota Quest e Tianastacia.

Em 1994, surgiu em Recife o movimento Mangue beat, liderados por Chico Science & Nação Zumbi e Mundo Livre S/A. O movimento misturava percussão nordestina a guitarras pesadas, conquistando a crítica.

Entre 94 e 95 surgiram dois grupos bem-sucedidos pelo humor: os brasilienses Raimundos (94), com o ritmo forrócore” (forró+hardcore) e os guarulhenses Mamonas Assassinas (95), parodiando do heavy metal ao sertanejo, que chegaram a fazer 3 shows por dia e venderam 1,5 milhão de cópias antes de morrerem em um acidente de avião, em 96 (chegaram a 2,6 milhões).

Alguns rappers tiveram ligação íntima com o rock, como Gabriel o Pensador e o Planet Hemp (que pedia a legalização da maconha).

Seguindo o caminho do Sepultura, o Angra gravou em inglês, alcançando considerável sucesso no exterior.

Outros destaques são O Rappa, também reggae/rock; Charlie Brown Jr., um “skate rock” com vocais rap; Cássia Eller, com um repertório de Cazuza e Renato Russo; e Los Hermanos, que surgiram com “Anna Júlia”, canção pop que não combinava com a imagem intelectual da banda.

Outro fato da década é que todas as bandas do “quarteto sagrado” (exceto a Legião) tiveram de se reinventar para reconquistar audiência: os Paralamas, depois de uma fase experimental, voltaram às paradas com Vamo Batê Lata (95); o Barão Vermelho, com o semi-eletrônico Puro Êxtase(98); e os Titãs, com seu Acústico MTV (97).

 

Anos 2000

 

2001 foi um ano “trágico” para o rock brasileiro. Herbert Vianna, dos Paralamas, sofreu acidente de ultraleve e ficou paraplégico (mas voltou a tocar); Marcelo Frommer, dos Titãs, morreu atropelado; Marcelo Yuka, d’O Rappa, foi baleado e ficou paraplégico (saiu da banda); e Cássia Eller morre.

As bandas dos 90 passaram por muitas mudanças: o Skank ficou mais britpop; o líder dos Raimundos, Rodolfo, virou evangélico e saiu da banda para formar o Rodox (que também acabaria algum tempo depois); A banda Los Hermanos, lançada com o sucesso “Anna Júlia”, mudou seu estilo a partir do segundo, polêmico, experimental e aclamado disco Bloco do eu sozinho (2001), e conseguiram continuar essa nova identidade com Ventura (2003) e 4 ((2005)); e três dos quatro integrantes do Charlie Brown Jr. abandonaram o grupo.

Duas origens alavancaram sucessos: a MTV, com seu Acústico, “ressuscitou” alguns grupos dos 80, como Capital Inicial e Ira!; e o produtor dos Mamonas, Rick Bonadio, que revelou entre outros, Charlie Brown Jr., Tihuana, Leela, O Surto, CPM22 (com hardcore melódico) e Detonautas Roque Clube(com a mistura hardcore melódico/electro/pop).

 

About these ads

Sobre Josi Vice

Moro em Recife, Pernambuco, onde nasci a 11 de outubro de 1985. Sou latino americano pós- moderno, poeta, cínico, dark, emocional e cerebral, um caranguejo com cerébro pós- Chico, um Nietzscheano sem Nietzsche, com delírios de poeta intelectualóide. Escrevo poesia desde os 15 anos. Sou fissurado em Hentai, Slipknot e Rock´n´Roll e em Literatura, Pop ou qualquer música de boa qualidade. Também adoro navegar pela net e pesquisar na web. Amo ler revistas e artigos, principalmente se for de culura. Esse cara sou eu. Nome real: Josafá César da Silva, mas prefiro Josi Vice ou Joker Vice ou César Vice. Signo: Libra Bandas e cantores preferidos: Slipknot, Beatles, Sex Pistols, Marilyn Manson, Cazuza, Legião Urbna, Elvis Presley, Silver Chair, Echo & The Bunnymen, The Cult, Southern Death Cult, Depeche Mode Poetas Preferidos: Fernando Pessoa, Camões, Marcos Henrique, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Álvares de Azevedo, Augusto dos Anjos, Allen Ginsberg Escritores favoritos: Nietzche, Machado de Assis, Paulo Coelho, Clarah Averbuck, Franz Kafka, Clarice Lispector e John Fante
Esse post foi publicado em Biografia, Blog, Blogalização, Cultura, Estilo musical, Estilos do rock, História cultural, História Musical, Música, Rock brasileiro, Rock nacional, Rock´n´roll e marcado , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Rock Anos 90 e 2000 no Brasil

  1. gerlleysonn disse:

    ksjglksdfkgbskjdweh lkjasdhfija s fasdf
    asfjahbsdflba

    adfadfnkajsdbfishbdf

  2. Joao disse:

    So uam correção,Detonautas o pro dutor deles é oGuitarrista do barao vermelho Fernando magalhaes e nao esse verme chamado de Rick Bonadio.

  3. Pedro Gilmour disse:

    Bonita história…

    da televisão…

    só que o rock está além disso… Isso na verdade que achamos parecida com a história do rock nacional, não é verdadeiramente…

    O rock tem seus principios e parametros fundamentais, um é a atitude, outro é a existencia do obscuro… tanto sonoramente, quanto ideologicamente, o rock é sempre akele movimento que parece ser do mal, nervoso, mas que na verdade seus efeitos são totalmente contrários, justamente por ser critico, não conformado, e quando a mdia mostra e aplaude um trabalho não é por essas qualidades, pq essas qualidades são complexas demais para serem entendidas de imediato por um grande publico consumidor…

  4. Ferdinanda disse:

    Uma merda ODIEI esse site, a história é uma merda vcs são ridiculos !
    asuhashaushaushs
    Bjs seus merdaaaas :D

  5. discordo dessa ai de cima pq , quando a gente precisar pra alguma coisa ,tharaaaaa,teremos
    ate qe eu sou evangelica ,mas nao tenho nada contra
    gostei ta
    legal!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s