Riot grrrl

bikini kill
Riot grrrl (ou riot grrl) é um movimento de fanzines, festivais e bandas de hardcore, punk rock e feminismo. Bandas de rock, com instrumentos pesados como baixo e guitarra com muitos efeitos e distorção, estilo e instrumentos inicialmente considerado como masculinos. O gênero musical riot grrrls apareceu na década de 90 como resposta as atitudes machistas punks.
Nos Estados Unidos em meados dos anos 90, o termo surgiu quando Alison Wolfe, do Bratmobile, resolveu fazer um fanzine feminista chamado Riot Grrrl onde se rebelavam contra alguns dogmas intocáveis do mundo do rock: garotas não sabem tocar guitarras, bateria, ou baixo tão bem quantos os homens.

As riot grrrls não faziam questão de se mostrarem bonitinhas, meigas, ou bem comportadas. Como eram vetadas pelo fato de serem do sexo feminino rasparam as cabeças, usavam roupas masculinas e as vezes até como protesto se envolviam com outras mulheres mostrando a eles que eram tão capaz e as vezes “até mais” do que eles. O movimento Riot foi bem popularizado por bandas de garotas como Bikini Kill e Tribe 8, elas reverenciaram antecessoras roqueiras de visual e verbos agressivos: a poetisa Patti Smith e o humor cínico de Deborah Harry. Não se pode dizer que existam “lideres” no movimento “RIOT GRRRL”, pois cada garota deve fazer o que quer e defender seus pensamentos e não ser “influenciada” ou “obedecer” alguma líder; contudo algumas mulheres conseguiram muito destaque, tornando-se verdadeiros símbolos das “Riot Grrrls”. Sem dúvida o maior destaque é a Kathlees Hanana, do já citado Bikini Kill.

 

 

 

 bikini kill riot grrl
Nos seus shows, as garotas do Bikini Kill costumavam “mandar” os rapazes para as filas mais longe do palco, deixando as garotas nos melhores lugares, além de tudo, elas entregavam folhas com as letras das músicas para que AS FÃS pudessem acompanhar melhor as canções. Kathleen costumava fazer os shows com os braços, abdômen ou costas escritos com slogans como : RAPE (estupre) ou SLUT (vagabunda), isso era uma forma de protesto contra a violência sexual, e os comentários “machistas” que determinavam as “Garotas do Rock” ou as mais “liberais” como vagabundas… O costume de escrever os “slogans” no corpo não parou com o Bikini Kill.
Courtney Love da banda Hole, que é considerada por algumas ídolo máximo do movimento, várias vezes negou participar do “tal movimento feminista” e até ter brigado com Kathleen, entre vários outros motivos UM seria o de que Courtney não queria que a imagem da sua banda, HOLE, fosse associada com o RIOT GRRRL além de que Courtney Love Cobain não simpatizava com a “cena” de Olympia, que era tanto a do Bikini Kill quanto a do “Riot Grrrl”. Querendo ou não a imagem de Courtney foi associada ao RIOT GRRRL.
Há bandas como o extinto Bulimia Punk Rock Feminino, Biggs, Pulso, entre outras,que também abrangem outros assuntos além do feminismo, como a banda Suffragettes, que defendem além do feminismo, também o vegetarianismo, a filosofia straight-edge, a preservação ambiental, dentre outros assuntos, cada vez mais crescentes nas cenas undergrounds.

 

 

No Brasil a banda de maior destaque é o DOMINATRIX, liderada pela vocalista e guitarrista Elisa Gargiulo. A banda é extremamente feminista e nos seus shows realiza verdadeiros debates sobre as diversas causas femininas e o direito das minorias.

 

Homossexualidade não é uma regra Riot Grrrl, mas há a reivindicação pela liberdade sexual, o fim do preconceito, entre outros pontos. Infelizmente, a imagem de uma riot grrrl retradada pela mídia inadequadamente como homossexual, que odeia homens, ignorante, violenta, amarga, uma imagem que também é dada para as feministas em geral.
O modismo “eu sou uma Riot Grrrl” apenas atrapalha os ideais, deixando Riot Grrrls como baderneiras, e não como pessoas que querem conquistar mais espaço, direitos.

Bandas Riot Grrrls nacionais

  • Bulimia Punk Rock Feminino
  • Cosmogonia
  • Sündae
  • Dominatrix
  • Banda Pulso
  • The Hats
  • Lava
  • Suffragettes
  • Biggs
  • Cínica
  • Santa Claus

Bandas Riot Grrrls internacionais

  •   Bikini Kill

  • Bratmobile
  • Excuse 17
  • Heavens to Betsy
  • Cheesecake
  • CWA(Cunts with Attitude)
  • Tattle Tale
  • Huggy Bear
  • Mambo Taxi
  • Skinned Teen
  • Pussycat Trash
  • Voodoo Queens
  • Babes in Toyland
  • L7
  • 7 Year Bitch
  • Sleater-Kinney

Sobre Josi Vice

Moro em Recife, Pernambuco, onde nasci a 11 de outubro de 1985. Sou latino americano pós- moderno, poeta, cínico, dark, emocional e cerebral, um caranguejo com cerébro pós- Chico, um Nietzscheano sem Nietzsche, com delírios de poeta intelectualóide. Escrevo poesia desde os 15 anos. Sou fissurado em Hentai, Slipknot e Rock´n´Roll e em Literatura, Pop ou qualquer música de boa qualidade. Também adoro navegar pela net e pesquisar na web. Amo ler revistas e artigos, principalmente se for de culura. Esse cara sou eu. Nome real: Josafá César da Silva, mas prefiro Josi Vice ou Joker Vice ou César Vice. Signo: Libra Bandas e cantores preferidos: Slipknot, Beatles, Sex Pistols, Marilyn Manson, Cazuza, Legião Urbna, Elvis Presley, Silver Chair, Echo & The Bunnymen, The Cult, Southern Death Cult, Depeche Mode Poetas Preferidos: Fernando Pessoa, Camões, Marcos Henrique, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Álvares de Azevedo, Augusto dos Anjos, Allen Ginsberg Escritores favoritos: Nietzche, Machado de Assis, Paulo Coelho, Clarah Averbuck, Franz Kafka, Clarice Lispector e John Fante
Esse post foi publicado em bandas, Biografia, Blog, Blogalização, Cultura, História cultural, História Musical, Música, mulheres no rock, Punk, Rock, rock de calcinha, Rock´n´roll e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

13 respostas para Riot grrrl

  1. suene disse:

    Eu queria saber um site massa q desse pra baixar alguns albuns de bandas do movimento riot valeu ai !!!

  2. suene disse:

    Eu sou totalmente a favor desse movimento e axo que nos mulheres tinhamos que lutar pela liberdade e igualdade entre os sexos mas sem libertinagem!!! Deviamos mostrar a essa sociedade machista e capitalista que o feminilidade da mulher nao esta somente em uma bunda e na sensualidade expressada por caras e bocas , a maior arma que uma mulher tem pra poder usar eh a inteligencia e as ideias e isso sim se usada da maneira certa pode conkistar seduzir e lutar tudo ao mesmo tempo enfim , essa é a nossa luta e devemos mostrar que somos muito mais que essa feminilidade que esse sociedade propoem , vamos conseguir nosso espaço e diretitos se nao nos deixarmos alienar pelo sistema !!!!!!

  3. Jéssica disse:

    Esse movimento eh muito legal!quero saber mais sobre o assunto,e me tornar um Riot tb!

    • jeni-punk disse:

      podi cre esse movimento é muito legal,quanto + sabemos + gostamos
      porq todas as mulheres tem q lutar por igualdade entre os sexos, porq se nos não lutarmos por nossos direitos quem vai?

  4. marina disse:

    Não só lutar pelos direitos e sim garantir a liberdade de expressão de muitos. Acabar até com essa hipocrisia masculina que por incrível que pareça temos em nosso país e mundo.
    Mulher não é objeto.

  5. jeni disse:

    Adoro esse movimento,as mulheres nao devem continuar a se submeter ao poderio masculino e devem defender a liberdade do uso de seu corpo,porq é só isso q os homens querem(nao sei se sao todos)porq eles acham q somos propiedades deles

  6. viviane disse:

    quem quiser baixar albuns de bandas riot girrrl…
    entra nesse blog tem varia bandas!
    http://sharethisbreathe.blogspot.com/search/label/%2B%20riot%20grrrl

  7. Ladyfest BH disse:

    Olá! Estou organizando um festival riot grrrl em Belo Horizonte, no qual a banda principal será o Dominatrix. Você poderia, por gentileza, divulgá-lo em seu blog? Este é o site, no qual você encontra o flyer e tudo mais sobre. ^^ http://ladyfestbh.wordpress.com/
    É isso. Obrigada, um abraço!

  8. PUNK disse:

    Tudo sapatona lesbica da desgraça

  9. Juliana disse:

    Lébica sapatona –‘ Vsf cara, vai arranjar algo melhor pra criticar, machista fdp, temos liberdade de escolha, lutamos contra gente como você (y)

  10. Ramona Grrrl disse:

    Adoro o movimento, me considero uma Riot Grrrl, mas não sou lésbica e nada dessa imagem idiota que a mídia passou, apenas sei dos meus direitos como mulher e de jamais deixar um homem ‘pisar’ em mim

  11. majo disse:

    adoro ser riot.. y amo bikini kill , l7 e babes in toyland!!!! for eveer.

  12. Sah disse:

    A Courtney não gostava, na verdade, era da Tobi, baterista do Bikini Kill, pq o Kurt já havia sido apaixonado por ela.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s